Topo
Saque e Voleio

Saque e Voleio

7 cenas que você precisa ver e rever da Laver Cup

Alexandre Cossenza

23/09/2019 09h30

A terceira edição da Laver Cup, realizada em Genebra, terminou com mais um título do Time Europa, liderado por Roger Federer e Rafael Nadal. O resultado era o mais provável, mas o confronto foi muito mais parelho do que as escalações indicavam, e a vitória dos favoritos só foi garantida no match tie-break do último jogo, quando Alexander Zverev derrotou Milos Raonic, dando números finais ao placar do duelo: 13 a 11.

A Laver Cup vem se mostrando um evento com potencial para durar um bocado. Não só pelo nível dos participantes, mas porque é disputada em um formato dinâmico, com um regulamento bem bolado (embora lembre de leve aqueles games de show de auditório, onde é impossível ser campeão antes do último bloco), muito cuidado com detalhes e, principalmente, atenção com os bastidores. Em alguns momentos, mesmo em grandes partidas, a Laver é mais interessante nos intervalos entre os games do que durante os pontos.

Está aí o caráter moderno – alguns diriam "millennial" mesmo – da competição. Em vez de se preocupar com detalhes insignificantes como um relógio entre os pontos, a Laver Cup usa o match tie-break no lugar do terceiro set (para encurtar a duração e, ao mesmo tempo, equilibrar, ainda que nivelando por baixo, as partidas) e permite interação entre jogadores e técnicos nos intervalos, o que faz todo sentido em uma competição por equipes. Tudo isso, claro, com câmeras acompanhando. Isso rende uma série de diálogos interessantíssimos e dúzias de momentos "gifáveis" com as reações dos tenistas nos boxes das equipes na lateral quadra.

Ciente do risco de transformar este post em buzzfeed (sério, são muitos momentos gifáveis), separei 7 momentos memoráveis do fim de semana em Genebra. Confiram abaixo:

1. Rafa, técnico de olho nos números

Com Federer atrás no placar no duelo com Nick Kyrgios, Rafa vai até o banco no intervalo e diz para o suíço que ele vinha levando vantagem nos pontos com menos de cinco rebatidas (8 a 5 para Roger). Espanhol e suíço reconhecem a dificuldade de encurtar pontos contra Kyrgios, mas concordam que é preciso agredir. "Espere a bola certa, mas quando a hora chegar, você tem que forçar porque ele não está errando", diz Rafa. "Ele está um pouco confortável demais", concorda Roger. E que fã de tênis não acha delicioso ver um diálogo assim entre dois dos maiores da história?

2. Roger elogia Rafa na rede

Aqui, com Nadal enfrentando Raonic no segundo dia da competição, os papéis se invertem. É a vez do suíço de ir até o banco e dar suas sugestões. Entre elas, a recomendação para ir à rede. "Quando você vir a chance de ir à rede, desafie ele a fazer uma passada. Você é tão bom na rede!" Roger também sugere variação no saque "spin, slice, como nos velhos tempos", diz, antes de dar um sorriso e um tapinha no braço do companheiro.

3. Veteranos riem do garotão

Aconteceu quando Nadal jogava duplas ao lado de Tsitsipas, e Rafa não entendeu um dos sinais feitos pelo grego, que estava junto à rede. No intervalo, rindo da situação, o espanhol comentou com Federer e, em seguida, explicou a Stefanos o que acontecia. "Precisamos ser um pouco mais claros com o dedo porque eu não entendi o que você mostrou", disse, enquanto Federer ria e Tsitsipas tentava se justificar. Em seguida, Rafa deu a ordem: "assim (mostra a mão fechada), você fica no mesmo lugar. Qualquer dedo, você cruza", disse, para gargalhadas de Federer e Borg.

4. Kyrgios sendo Kyrgios

Não é segredo que Nick Kyrgios não é o mais concentrado dos tenistas. Na partida contra Federer, mesmo quando estava ganhando, o australiano voltou de um game fazendo uma revelação aos companheiros: "Perdi a concentração, vi uma gata na arquibancada. Tipo, estou sendo muito honesto – eu casaria com ela agora. Agora mesmo."

5. De onde devolver o saque?

No domingo, Dominic Thiem encontrava dificuldades diante de Taylor Fritz, e é curioso ver como Federer e Nadal, juntos, analisam o que o austríaco poderia fazer de melhor na devolução. O diálogo é interessante porque suíço e espanhol têm estilos bem diferentes. Roger gosta de devolver mais perto da linha de base. Rafa prefere ficar no fundão, assim como Thiem.

Enquanto falava com Thiem, Federer volta-se para Nadal e pergunta: "Você sempre devolve do fundo?" Nadal responde: "O segundo saque? Estou feliz com isso (em relação à postura de Thiem). A única coisa… quando você bater na bola, volte para a linha. Não fique tão no fundo." Federer completa: "Eu procuraria ficar mais perto da linha de base mais cedo no rali, se você conseguir." Fica óbvio que o objetivo é mesmo – agredir e jogar mais perto da linha de base – não importa como isso vai ser alcançado.

6. A vibração do suíço

Este vídeo é para quem acha que a Laver Cup é apenas uma exibição de luxo: no terceiro jogo de domingo, Federer precisava derrotar John Isner para manter o time Europa vivo na competição. Vejam a comemoração do suíço ao fechar a partida. Será que ele estava levando a coisa a sério?

7. O público

Outro motivo do sucesso da Laver Cup é a participação do público. Apenas ouçam a torcida suíça durante o match tie-break de Federer x Kyrgios. Dá pra entender, não?

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.