Topo
Saque e Voleio

Saque e Voleio

Djokovic passa em teste de consistência e domina espanhol na estreia em Nova York

Alexandre Cossenza

26/08/2019 17h12

O número 1 do mundo teve sua paciência e sua solidez testadas logo no primeiro dia do US Open, mas deu a resposta certa. Jogando um tênis consistente do início ao fim, Novak Djokovic iniciou sua campanha em Nova York este ano com uma boa vitória sobre o espanhol Roberto Carballés Baena, #76 do mundo: 6/4, 6/1 e 6/4.

Além da bela atuação, o sérvio contou com uma pitada de sorte. O americano Sam Querrey, ex-número 11 do mundo, dono de saques potentes e possível rival de segunda rodada, acabou eliminado na estreia. O tenista da casa foi superado de virada pelo argentino Juan Ignacio Londero por 3/6, 6/1, 7/6(3) e 7/5. Atual #56 do mundo, o sul-americano avança à segunda fase em Nova York pela primeira vez na carreira.

Saque e jogo de rede fazem diferença

A partida começou como era esperado com dois tenistas sólidos do fundo de quadra: pontos longos, com cada um tentando exigir o máximo em termos de solidez e paciência do rival. Djokovic teve três break points logo no segundo game, mas Carballés Baena se salvou com um bom saque e mais dois pontos perfeitos. Enquanto Nole confirmava seu serviço sem problemas, o espanhol também escapou de dois break points no oitavo game. As chances perdidas não abalaram o número 1. No décimo game, quando conquistou seu primeiro set point, não perdoou, quebrando e fazendo 6/4.

A segunda parcial foi diferente porque o desafiante percebeu que seu jogo "A" não estava funcionando contra o favorito. Carballés Baena passou a chamar Djokovic para a rede com curtinhas com mais frequência. Não adiantou. Pelo contrário. Sem ter a seu lado a solidez do fundo de quadra, o espanhol ficou mais vulnerável. O #1 aproveitou-se disso e anotou uma quebra rápida para abrir 2/0. Nole chegou a vencer cinco games seguidos (do fim do segundo set até o 3/0 do terceiro) até que Carballés Baena confirmasse o seu serviço. Quando isso aconteceu, Djokovic já era o senhor do jogo e voltou a quebrar no sexto game antes de selar a parcial em 6/1.

Até o fim do segundo set, Djokovic somava tantos erros não forçados quanto Carballés Baena (18), mas fazia a diferença com o serviço (90% dos pontos vencidos com o primeiro saque) e sua atuação junto à rede (18 pontos vencidos em 20 subidas). O espanhol voltou a investir no fundo de quadra na terceira parcial, mas seguia sem conseguir break points. Djokovic conseguiu uma quebra no quinto game, graças a um voleio longo demais do rival, e não precisou fazer muito mais do que isso.

Medvedev também avança

Quem também venceu sem problemas neste primeiro dia de torneio foi Daniil Medvedev, atual número 5 do mundo e campeão do Masters 1.000 de Cincinnati, há pouco mais de uma semana. O russo aplicou 6/4, 6/1 e 6/2 sobre o indiano Prajnesh Gunneswaran. Medvedev é favorito para chegar às quartas de final e duelar com Djokovic por uma vaga nas semi. Os dois se encontraram em Cincy, nas semifinais, e o russo venceu de virada: 3/6, 6/3 e 6/3. Não por acaso, ele é o quarto mais cotado ao título na maioria das casas de apostas.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.