Topo

Serena supera Strycova e se torna mais velha finalista de slam da Era Aberta

Alexandre Cossenza

11/07/2019 11h35

De um lado, a americana Serena Williams, 37 anos, em busca do oitavo título de Wimbledon e de seu 24º troféu de slam em simples. Do outro, a tcheca Barbora Strycova, 33 anos, mais velha semifinalista estreante de um slam na Era Aberta (a partir de 1968) do tênis. A diferença enorme no currículo não era por acaso e ficou nítida logo nos primeiros games do encontro desta quinta-feira. Serena dominou desde o início, fez 6/1 e 6/2 e avançou a mais uma final no All England Club.

Em busca de igualar o recorde de 24 slams em simples, que pertence à australiana Margaret Court, Serena quebrou outra marca. Ao bater Strycova, tornou-se a mais velha finalista de um slam na Era Aberta. Com 37 anos e 291 dias de vida, a americana deixou para trás Martina Navratilova, que foi vice-campeã de Wimbledon em 1994, quando tinha 37 anos e 258 dias.

Serena já esteve muito perto de igualar a marca de Court duas vezes no ano passado, mas acabou derrotada em duas finais. Em Wimbledon, perdeu para a alemã Angelique Kerber. No US Open, tombou diante da japonesa Naomi Osaka. Desta vez, ela vai enfrentar na decisão a romena Simona Halep, que superou a ucraniana Elina Svitolina por 6/1 e 6/3 na primeira semifinal.

O histórico aponta para o 24º slam: Serena e Simona já duelaram dez vezes, e a americana levou a melhor em nove. A única vitória de Halep aconteceu no WTA de Indian Wells, em 2015. Desde então, elas já se enfrentaram em cinco oportunidades. O encontro mais recente foi nas oitavas de final do Australian Open deste ano, e Serena triunfou por 6/1, 4/6 e 6/4.

Como aconteceu

Strycova chegou à final à base de um jogo cheio de variações e muitas subidas à rede. Diante de Serena, isso nunca havia funcionado. Nos três jogos que fizeram antes desta quinta, a americana venceu todos os seis sets. Não foi muito diferente desta vez. No primeiro set, Strycova passou mais tempo se defendendo do que agredindo. A potência de Serena era demais para a tcheca, que perdeu o saque no quarto e no sexto games. A ex-número 1 ainda saiu de 0/40 no sétimo para fechar a parcial em 6/1 em 27 minutos.

No segundo set, Strycova resistiu por mais tempo – mas não muito. No quinto game, pressionada por boas devoluções da veterana, a tcheca cometeu uma dupla falta e errou uma curtinha, perdendo o serviço mais uma vez. A história se repetiu no sétimo game. Sem conseguir desequilibrar Serena do fundo de quadra, Strycova tentou variar. Errou uma curtinha para ficar atrás em 15/40 e, dois pontos depois, foi à rede e errou um voleio nada complicado. As falhas deram a Serena uma vantagem de 5/2, e a ex-número 1 do mundo não demorou a fechar o jogo.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.

Blog Saque e Voleio