Topo
Saque e Voleio

Saque e Voleio

Serena torce tornozelo, cede virada após quatro match points e tomba diante de Pliskova

Alexandre Cossenza

23/01/2019 02h19

Serena Williams teve um começo ruim de jogo, mas protagonizou uma bela virada e estava prestes a concluir sua vitória sobre Karolina Pliskova quando pisou errado e sofreu uma torção no pé esquerdo. A americana dispensou atendimento médico, mas perdeu quatro match points e teve seu serviço quebrado três vezes seguidas. A tcheca #8 do mundo, que readquiriu a confiança no fim da partida, acabou levando a melhor e avançando às semifinais do Australian Open com uma improvável virada: 6/4, 4/6 e 7/5.

Para Pliskova, o próximo desafio será buscar uma vaga na final do torneio. A semi será contra a japonesa Naomi Osaka, atual campeã do US Open e número 4 do mundo. A jovem de 21 anos se classificou ao superar a ucraniana Elina Svitolina (#7), também nesta quarta-feira, por 6/4 e 6/1. A outra semifinal será entre a também tcheca Petra Kvitova e a americana Danielle Collins.

Desde o sorteio das chaves, havia a expectativa de um novo encontro Serena e Osaka. As duas fizeram a conturbada final do US Open, que foi vencida pela japonesa por 6/2 e 6/4, mas ficou marcada pelas seguidas punições à americana, que chegou a chamar o árbitro de cadeira, o português Carlos Ramos, de ladrão. A vitória de Pliskova impede o jogo mais esperado do torneio.

Como aconteceu

Pliskova começou a partida agredindo a favorita, forçando erros e conseguindo uma quebra de serviço já no terceiro game. A tcheca ainda teve outros quatro break points no quinto game, mas Serena escapou de 0/40 e se manteve no set. O problema para a americana é que Pliskova mantinha ótimo aproveitamento de primeiro serviço e dava poucas chances. Na parcial, a número 8 do mundo superou a americana em aces (2 a 1), acertou 78% dos primeiros serviços e ganhou 81% dos pontos com o fundamento. Serena venceu apenas seis pontos de devolução e não conseguiu nenhum break point até ver Pliskova fazer 6/4.

A segunda parcial começou mais ou menos como a anterior, com Pliskova conquistando um break point cedo. A diferença é que Serena se salvou e foi se segurando no jogo enquanto não conseguir uma chance melhor nos games de serviço da adversária. Quem teve oportunidade foi Pliskova. Depois de ver a rival cometer uma dupla falta e jogar uma direita na rede, a tcheca acertou uma paralela de direita para chegar a um break point no quinto game. Serena, contudo, se salvou subindo à rede com eficiência.

Pliskova insistiu. Com uma bola baixa e um lob, chegou a outra chance de quebra. No ponto seguinte, com um belo slice, a tcheca forçou Serena a se mexer e bater uma bola baixa. A americana tentou um slice, mas mandou na rede e perdeu o serviço. Foi só aí, vendo a adversária sacar em 3/2 no segundo set, que Serena deu uma resposta. Abriu o game com um uma devolução vencedora e, pouco depois, disparou uma direita indefensável. Outro ótimo retorno de saque forçou um erro de Pliskova e devolveu a quebra.

A partida seguiu parelha até o décimo game, quando a tenista tcheca viu seu primeiro serviço desaparecer. Serena aproveitou. Em seguidos pontos com o segundo saque, impôs sua devolução, forçou erros da oponente e fez 6/4 para forçar o terceiro set.

A torção, os 4 match points e a incrível virada

Quando o terceiro set começou, Serena já jogava mais solta, disparando mais aces e dominando nas devoluções. No quarto game, já conseguiu uma quebra de vantagem e, rapidamente, disparou no placar. Pliskova, sem ganhar tantos pontos de graça no serviço, pouco pôde fazer. Serena abriu 5/1 e sacou em 40/30, mas pisou em falso e sofreu uma leve torção no pé esquerdo. A partir dali, a partida mudou completamente.

Pliskova aproveitou o momento e salvou o match point no sétimo game. A americana dispensou atendimento médico, mas o placar, que mostrava 5/1, mudou rapidamente para 5/3. A tcheca quebrou a favorita mais uma vez – de zero – no nono game. No décimo game, com Serena voltando a agredir do fundo de quadra, Pliskova salvou mais três match points e igualou o jogo em 5/5. Mais erros de Serena deram a Pliskova outra quebra no 11º game, e Pliskova sacou para selar a virada no fim.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.