Topo
Saque e Voleio

Saque e Voleio

O sonho continua: Tsitsipas vence mais uma e espera por duelo com Nadal

Alexandre Cossenza

2022-01-20T19:03:00

22/01/2019 03h00

O sonho segue vivo para Stefanos Tsitsipas. O grego de 20 anos voltou a vencer nesta terça-feira e se classificou para as semifinais do Australian Open. Dois dias depois de despachar Roger Federer com uma atuação memorável, o #15 do mundo voltou à Rod Laver Arena e, por 7/5, 4/6, 6/4 e 7/6(2), colocou um ponto final na sequência do espanhol Roberto Bautista Agut, #24 na lista da ATP e que estava invicto há nove jogos.

O próximo passo para Tsitsipas, que faz a melhor campanha de sua carreira em um slam, será entrar na quadra contra Rafael Nadal. Na sessão noturna desta terça, o espanhol derrotou o americano Frances Tiafoe em três sets.

"Parece quase um conto de fadas. Estou vivendo o sonho. Eu estou emocionado, mas não emocionado demais porque trabalhei muito para chegar até aqui. Quando comecei o ano, perguntaram qual era o meu objetivo, e eu disse que era chegar à semi de um slam. Quando eu respondi, parecia que eu era louco, mas é real. Acaba de acontecer", disse Tsitsipas na entrevista pós-jogo, ainda dentro de quadra.

Como aconteceu

Não foi o começo dos sonhos para Tsitsipas. Depois de salvar 12 break points no jogo contra Federer, o grego teve seu serviço quebrado logo no primeiro game – e no primeiro break point – por Bautista Agut, que mostrava sua solidez habitual. Aos poucos, porém, o grego foi se encontrando no jogo e impondo seu tênis agressivo contra a regularidade do adversário.

Só que o espanhol, que vinha de um título em Doha e vitórias sobre Wawrinka, Berdych, Djokovic, Murray, Cilic e Khachanov – entre outros – não manteve a solidez. Com dois erros não forçados seguidos, perdeu o serviço no oitavo game. No 12º game, mais falhas. No segundo set point, Tsitsipas atacou e subiu à rede, forçando outro erro de Bautista Agut e fechando a parcial.

O segundo set foi parecido com o primeiro. Tsitsipas agredia mais e anotava mais winners, mas também cometia mais erros. Foi assim que Bautista Agut conseguiu uma quebra já no terceiro game da parcial. A grande diferença, agora, é que o espanhol parou de perder pontos em falhas não forçadas. Com apenas quatro erros em todo set e encaixando 71% de primeiros serviços, o #24 do mundo seguiu confirmando até fazer 6/4.

Quando encaixa uma sequência de bolas fundas, Bautista Agut dificilmente perde o comando de um ponto. Foi assim que ele conquistou três break points no quinto game do terceiro set. E foi assim, agredindo e se aproximando da rede, que o espanhol aproveitou a segunda chance de quebra para abrir 3/2. O grego bem que tentou variações. Usou curtinhas e foi à rede, mas nada funcionava frequentemente contra Bautista Agut.

O cenário começou a mudar no oitavo game, quando Tsitsipas encaixou um par de devoluções profundas, que impediram Bautista Agut de comandar os pontos. Assim, o grego devolveu a quebra. Mais tarde, no décimo game, mais do mesmo. Outras devoluções pressionaram o espanhol e deram resultado. O #24 do mundo até salvou dois set points, mas no terceiro viu Tsitsipas alcançar uma curtinha e executar um incrível slice paralelo para fazer 6/4.

No quarto set, além de esbanjar confiança, o grego parecia mais inteiro fisicamente. Apesar de vir de uma partida de 3h45min contra Roger Federer, Tsitsipas chegou às quartas de final menos desgastado que Bautista Agut. Além de dez anos mais velho que o rival desta terça, o veterano de 30 anos fez três partidas de cinco sets em sua caminhada em Melbourne. Ficou em quadra 4h09min contra Andy Murray, 3h48min contra John Millman e mais 3h58min diante de Marin Cilic.

Ainda assim, os dois confirmavam seus serviços confortavelmente, e a partida caminhava rapidamente do tie-break. No 12º game, contudo, as devoluções de Tsitsipas fizeram a diferença mais uma vez, colocando Bautista Agut na defensiva. Com o placar em 30/30, o espanhol cometeu uma dupla falta, mas salvou o match point em um enorme rali, disparando uma direita indefensável, e forçou o tie-break.

Até o game de desempate, Tsitsipas só havia perdido três pontos com seu saque em toda a parcial. Nem precisou manter o aproveitamento. O grego venceu dois ralis no serviço do rival já no começo do tie-break e abriu 3/0. Bautista Agut não conseguiu se recuperar.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.