Topo
Saque e Voleio

Saque e Voleio

Nadal passa rápido por Tiafoe e confirma duelo com Tsitsipas nas semifinais do Australian Open

Alexandre Cossenza

2022-01-20T19:08:17

22/01/2019 08h17

Quando derrotou Grigor Dimitrov e avançou às quartas de final em Melbourne, o americano Frances Tiafoe disse com todas as letras sobre o duelo com Rafael Nadal: "Ele vai me fazer correr como um louco." A previsão se confirmou. Nesta terça-feira, o número 2 do mundo dominou a partida e mandou o jovem 20 anos atrás da bolinha por todos cantos da quadra. Só não foi pior fisicamente para o #39 da ATP porque durou pouco. Em 1h47min, Nadal fez 6/3, 6/4 e 6/2 para avançar às semifinais do Australian Open.

O espanhol vai encarar o grego Stefanos Tsitsipas. Também nesta terça, o jovem de 20 anos, atual número 15 do mundo, manteve vivo seu sonho. Dois dias depois de eliminar Roger Federer, Tsitsipas acabou com a série de nove vitórias seguidas do espanhol Roberto Bautista Agut e fez 7/5, 4/6, 6/4 e 7/6(2) para avançar às semifinais. É a primeira vez da carreira do grego entre os quatro melhores de um slam.

Nadal e Tsitsipas já se enfrentaram duas vezes no circuito mundial, e o grego ainda não venceu nenhum set. O primeiro duelo aconteceu no ano passado, na final do ATP 500 de Barcelona, e o tenista da casa fez 6/2 e 6/1. Tsitsipas deu mais trabalho no Masters 1000 do Canadá, também na final, e o placar final registrou 6/2 e 7/6(4) para Nadal.

Após a vitória desta terça, o espanhol só teve elogios para o próximo adversário: "Ele é um jogador que, no último ano, melhorou a cada mês. Ele já ganhou torneio, jogou a final do ATP 500 de Barcelona, depois [fez final] em Toronto. Ele está na semifinal aqui e já consegue derrotar os melhores do mundo. É um grande jogador. Já é inacreditável hoje, mas [Tsitsipas] terá a chance de ser um dos melhores do mundo por um longo tempo."

Como aconteceu

O primeiros games foram cruciais para as chances de Tiafoe no set inicial. Além de não conseguir incomodar o saque de Nadal, o americano cometeu quatro erros não forçados já no segundo game. Com a chance de quebra, o #2 do mundo atacou com seu forehand, ganhou um rali e conseguiu a quebra. Depois disso, o espanhol perdeu apenas três pontos no serviço. Muito à vontade em quadra, fechou a parcial em 30 minutos: 6/3.

A história do segundo set teve páginas parecidas. A começar com Rafael Nadal quebrando o primeiro game de serviço de Tiafoe, o que aconteceu depois de três erros não forçados do americano e um forehand vencedor na paralela do favorito. A diferença é que Nadal jogou um game ruim de saque pela primeira vez e precisou salvar dois break points antes de abrir 3/1. Foi, contudo, a única chance real que Tiafoe teve de endurecer a partida até o favorito fechar a segunda parcial em 6/4.

Como uma clássica reprise vespertina de novela, o americano voltou a sofrer no início do terceiro set. Abriu a parcial com dois erros não forçados e pagou o preço depois de Nadal ganhar um rali com uma espetacular curtinha. Com a quebra de frente e sacando bem, o #2 do mundo pôde continuar a impor um tênis agressivo sem ter a vitória ameaçada. Uma nova quebra no sétimo game colocou um ponto final nas esperanças de Tiafoe.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.