PUBLICIDADE
Topo

Semana 3: chuva, polêmica, um drop shot incrível e um brasileiro campeão

Alexandre Cossenza

16/01/2016 11h59

A última semana de tênis antes do Australian Open teve quatro torneios e, mesmo sem os favoritos a Melbourne em ação, sobrou assunto. Desde a polêmica envolvendo Bernard Tomic em Sydney, passando pela impressionante campanha de Svetlana Kuznetsova, incluindo um lance espetacular em Canberra e um título de Bruno Soares e Jamie Murray. Houve, também, muitas desistências. Role a página, leia tudo e fique por dentro antes que o primeiro Slam do ano comece.

Os campeões

O título mais relevante da semana talvez seja o de Svetlana Kuznetsova em Sydney. É bem verdade que o torneio perdeu Kvitova e Kerber antes de seu início e, mais tarde, Belinda Bencic abandonou, mas a russa derrotou, em sequência, Lisicki, Errani, Halep e Puig.

Foi uma campanha bastante respeitável que dá a Kuznetsova, atual #25, um novo status no Australian Open. Certamente, a russa será observada com mais atenção em Melbourne. Sua chave lá não é das mais fáceis, mas o nível de tênis apresentado esta semana foi bastante animador.

Sydney também foi muito importante para Monica Puig, ex-número 1 do mundo juvenil e que, aos 22 anos, vinha encontrando dificuldades para alcançar o nível de tênis e os resultados esperados. Nesta semana, contudo, a porto-riquenha do #PicaPower alcançou pela primeira vez na carreira uma semifinal (e uma final, claro) de um torneio Premier. Foi emocionante vê-la comemorar o triunfo sobre Sam Stosur nas quartas.

Em Auckland, a final foi meio baixo astral. Para aumentar a já enorme lista de abandonos da semana, Jack Sock, ainda com os sintomas de uma gripe/virose, desistiu quando perdia por 6/1 e 1/0. O espanhol Roberto Bautista Agut ficou com o título. A partida durou só meia hora.

De consolo para Sock, ficam as vitórias sobre Kevin Anderson (quartas) e David Ferrer (semi), além do começo de uma nova tradição, que é citada mais abaixo neste post. Sigam rolando a página.

Ajudado pelo papelão do cabeça de chave 1, Bernard Tomic (também citado mais abaixo, em "a polêmica"), o sérvio Viktor Troicki derrotou Teymuraz Gabashvili na semifinal e foi lutar pelo troféu contra Grigor Dimitrov no ATP de Sydney. E foi possivelmente a decisão mais emocionante da semana. Troicki sacou em 5/4 no terceiro set, mas foi quebrado e, pouco depois, precisou salvar um match point no tie-break. Foi aí que o sérvio mandou um backhand na linha para fechar a partida: 2/6, 6/1 e 7/6(7).

Troicki, é bom lembrar, defendia os pontos do título em Sydney. Ele agora tem três títulos na carreira – conquistou também Moscou/2010.

Em Hobart, torneio que foi muito atrapalhado pela chuva durante a semana, a decisão deixou a desejar, afinal esperava-se mais de uma partida entre Alizé Cornet e Eugenie Bouchard. A canadense, contudo, pouco ameaçou a francesa, que fez 6/1 e 6/2 e ficou com o título.

Não deixa de ser um resultado decepcionante para Bouchard, que vinha de ótimos resultados e vitórias sobre Camila Giorgi e Dominika Cibulkova. Além disso, Genie havia vencido as duas partidas anteriores contra Cornet.

As duas agora partem para missões complicadas em Melbourne. Bouchard pode fazer uma interessantíssima partida de segunda rodada contra Agnieszka Radwanska, que vem de título em Shenzhen, enquanto Cornet pode enfrentar Simona Halep, número 2 do mundo e vice-campeã em Sydney.

O lance da semana

Aconteceu no Challenger de Canberra, com o jogo empatado em 5/5 no terceiro set entre Marcel Granollers e Paolo Lorenzi. Vejam o que o espanhol fez para salvar um break point…

A polêmica

Na sexta-feira, os torneios de Sydney andavam atrasados por causa da chuva. Pouco depois de a chave do Australian Open ser sorteada, Bernard Tomic – ele de novo – abandonou o torneio no meio da partida contra Teymuraz Gabashvili. O russo vencia por 6/3 e 3/0 quando o tenista da casa abandonou. O garotão alegou problemas estomacais para deixar a quadra.

A desistência não pegou bem com o público local (nem com ninguém, na verdade) e, para piorar a situação de Tomic, não demorou a se propagar nas redes sociais um vídeo que mostra um diálogo entre ele e o árbitro de cadeira Mohamed Lahyani. Na conversa, Tomic lembra que tinha caído em uma chave boa em Melbourne e que estava pensando no Australian Open, e não em Sydney.

Os brasileiros

O destaque da semana foi o título de Bruno Soares em Sydney, onde fez seu segundo torneio ao lado do novo parceiro, Jamie Murray. Na final, contra Bopanna e Mergea, brasileiro e escocês saíram de 0/5 no tie-break do segundo set e fecharam a partida sem precisar jogar um dramático match tie-break: 6/3 e 7/6(6).

Na entrevista publicada pela ATP (no vídeo abaixo), Bruno e Jamie inclusive lembram que assumiram a liderança da "corrida" pelo ATP Finals. Ou seja, por enquanto o Brasil lidera os dois rankings de duplas.

Eliminada na primeira rodada em Brisbane, Teliana Pereira não teve sorte muito melhor em Hobart. A brasileira venceu apenas três games e foi superada pela britânica Heather Watson: 6/3 e 6/0. Na quadra dura e longe de sua zona de conforto, Teliana chegará ao Australian Open sem muito a comemorar. Em duas partidas, venceu apenas seis games.

Thomaz Bellucci acabou tendo um pré-Australian Open parecido. Eliminado por David Goffin na estreia em Brisbane, na última semana, o número 1 do Brasil voltou a cair na primeira rodada, desta vez em Sydney. O algoz da vez foi o ucraniano Alexandr Dolgopolov, que fez 6/1 e 6/4. Bellucci esteve pouco à vontade em quadra e não conseguiu lidar bem com as variações impostas pelo adversário.

Na chave de duplas, o paulista teve mais sorte. Ao lado do argentino Leo Mayer, passou por Gabashvili/Kukushkin e Erlich/Fleming, alcançando as semifinais. Brasileiro e argentino só foram eliminados por Bopanna e Mergea, que fizeram a decisão contra Bruno e Jamie.

Marcelo Melo jogou ao lado de Daniel Nestor nesta semana, e o triunfo na estreia significou a milésima vitória na carreira do canadense de 74 anos (brincadeira, são "só" 43). Melo e Nestor, porém, foram eliminados nas quartas por Lukasz Kubot e Marcin Matkowski: 6/4 e 6/3.

Em Auckland, André Sá e Chris Guccione não passaram da estreia. Seus algozes foram o croata Mate Pavic e o neozelandês Michael Venus: 6/4 e 6/2.

O qualifying

O Brasil tinha dois representantes no qualifying do Australian Open, e ambos foram eliminados na primeira rodada. José Pereira foi superado pelo americano Tim Smyczek por duplo 6/3, e André Ghem caiu diante do espanhol Adrián Menéndez Maceiras: 6/3, 4/6 e 6/3.

Feijão, Rogerinho e Guilherme Clezar também tinham ranking para tentar o quali em Melbourne, mas preferiram ficar na América do Sul para uma série de Challengers no continente. Feijão e Clezar, inclusive, se enfrentaram na primeira rodada em Buenos Aires, na última terça-feira. Rogerinho era o cabeça 2.

Fanfarronices publicitárias

Em Sydney, Grigor Dimitrov foi fazer aquelas fotos com animais da região. Novidade nenhuma, mas alguém precisa divulgar o torneio, né?

Bernard Tomic – olha ele aqui de novo! – foi ao Tower Eye de Sydney antes de abandonar o torneio. E lembremos que essa gaiatice publicitária já havia sido uma tentativa de apagar uma polêmica anterior. Alguns dias antes, o australiano de 23 anos expulsou tenistas amadores de uma quadra em um hotel e ainda xingou funcionários que tentavam apaziguar. O garotão acabou expulso do local.

A melhor história

Andy Murray escreveu um texto para o Players' Tribune sobre sua relação com animais. O detalhe é que o – brilhante – artigo é muito mais profundo do que isso. Vale a pena ler (em inglês).

Os bons samaritanos

Acontece quase todo ano, mas é sempre bacana de ver. Quando a chuva interrompe o WTA de Hobert, todo mundo aparece para ajudar a secar a quadra. De vez em quando, até umas tenistas colaboram.

Não sei se qualifica como um gesto bacana dar uma meia usada (e suada!) de presente, mas o americano Jack Sock disse estar estreando uma tradição em Auckland. Por causa de seu sobrenome, vai jogar meias para o público sempre que ganhar uma partida. O primeiro "sortudo" foi o cidadão abaixo.


Mais desistências

Na terça-feira, o Australian Open anunciava a ausência de Karin Knapp, que tem um problema no joelho. Como informa o tweet do torneio, Aliaksandra Sasnovich ficou com seu lugar na chave principal.

Angelique Kerber deixou de jogar em Sydney alegando um problema gastrointestinal. Petra Kvitova também desistiu do torneio – coincidência ou não, pelo mesmo motivo. A tcheca, contudo, já treinava em Melbourne na terça-feira.

Entre os homens, Nick Kyrgios e Alexander Zverev desistiram de jogar o Kooyong Classic, tradicional torneio de exibição disputado na semana que antecede o Australian Open.

E se você chegou até aqui, já leu sobre o papelão de Tomic em Sydney. Pois no mesmo dia, a suíça Belinda Bencic desistiu do torneio nas semifinais. Monica Puig, que fazia sua primeira semifinal em um evento de nível Premier, vencia por 6/0 quando a oponente abandonou.

Bencic, vide tuíte abaixo, explicou que acordou se sentindo mal e vomitando., mas quis entrar na quadra em respeito a Puig. A suíça também pediu desculpas à adversária, reconhecendo que era sua primeira ida a uma final. A reação geral foi bem melhor do que no caso de Tomic, mas é bom lembrar que ninguém flagrou Bencic falando sobre sua chave em Melbourne…

Os melhores tuítes segundo ninguém (uma breve coletânea descompromissada e completamente desprovida de critérios)

Andy Roddick, que deveria ser considerado desde já o melhor ex-tenista comentarista, tuiteiro e tudo mais, deu esse fora bem dado em um cidadão brasileiro que se achou no direito de ser mal educado.

Quem disse que Genie Bouchard não consegue ser simpática?

Judy Murray lamentou a chuva em Hobart, mas nem tanto. No intervalo, aproveitou para dar uma espiada no muso "Deliciano" López.

Sabine Lisicki foi à praia em Sydney (Bondi Beach) e eu achei que seria motivo suficiente para colocar a moça nesta seção aqui.

Para terminar, não sei o que seria dessa seção sem os tuítes do @rocktenis

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.