Topo
Saque e Voleio

Saque e Voleio

Podcast Saque e Voleio: S01E26

Alexandre Cossenza

24/08/2019 15h47

O 26º episódio do podcast Saque e Voleio, no ar para os apoiadores do blog, vem falando sobre US Open, trazendo uma prévia das chaves feminina e masculina, apontando os favoritos e os motivos para isso.

No primeiro bloco, sobre a chave feminina, analiso o momento incomum de Serena Williams e Maria Sharapova, que se enfrentam na primeira rodada; ressalto o equilíbrio da chave e como nomes de peso como Naomi Osaka e Petra Kvitova atravessam momentos difíceis; e falo de como o US Open se preparou para evitar uma repetição da final do ano passado. Isso inclui medidas para informar melhor os espectadores e até evitar que o árbitro português Carlos Ramos trabalhe em partidas de Serena Williams.

Em seguida, falo sobre como Roger Federer e Rafael Nadal contaram com um sorteio mais amigável do que Novak Djokovic; digo por que acho que o suíço tem uma boa chance de alcançar as semifinais, apesar de não ter mostrado brilho em Cincinnati; lembro de quanto Juan Martín Del Potro faz falta em um slam; e avalio as chances de Thiago Monteiro, único brasileiro nas chaves de simples em Flushing Meadows.

Quem já apoia o Saque e Voleio pode acessar o link para o episódio lá no Mural do Apoia.se. Quem mais quiser curtir o podcast pode aproveitar a ocasião para começar a apoiar o blog (com R$ 15 mensais, você tem direito a conteúdo exclusivo e newsletter semanal, além de brindes e promoções). Basta visitar o Apoia.se, conhecer melhor o programa de financiamento coletivo recorrente do Saque e Voleio e fazer sua contribuição.

Sobre o autor

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais.
Contato: ac@cossenza.org

Sobre o blog

Se é sobre tênis, aparece aqui. Entrevistas, análises, curiosidades, crônicas e críticas. Às vezes fiscal, às vezes corneta, dependendo do dia, do assunto e de quem lê. Sempre crítico e autêntico, doa a quem doer.